quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Fala pra mim, diz a verdade
O que mudou assim tão de repente
Quero saber de onde vem
Esse medo que machuca a gente
Tá tudo errado, fogo cruzado
E a gente não consegue se entender
Porque não me telefona
Dê notícias de você
Liga ao menos pra dizer
Que o melhor é te esquecer

É a sua indiferença que me mata
É uma invasão, um nó dentro de mim
Coração divide em dois na sua falta
Uma parte é o começo a outra o fim

É a sua indiferença que me mata
Que me mata, que me mata
Coração divide em dois na sua falta
Na sua falta, na sua falta

zezé di camargo

2 comentários:

Sandra disse...

Putz, tá pior do que pensei hein...
;o)
bjs

Anônimo disse...

Quando se canta música sertaneja, é sinal de dor de cotovelo...

Oh, vidão!